Patrimônio: como as demonstrações contábeis podem gerar valor para o seu negócio?


Gerir uma empresa requer habilidades e instrumentos que permitam visualizar a realidade por ângulos diferentes. Será o conjunto das informações que permitirá uma visão clara e em perspectiva do negócio. Dentre estes instrumentos, o balanço patrimonial tem lugar de destaque, apesar de ser uma peça contábil das mais tradicionais.

O balanço espelha a situação patrimonial da empresa numa determinada data. Todos os ativos existentes, todas as obrigações(passivos) e riscos e o saldo entre ambos resulta no patrimônio líquido. Logo, o patrimônio representa o valor econômico do negócio.

Um aspecto positivo nos últimos tempos foi a implantação no Brasil das normas internacionais de contabilidade(IFRS). Seu objetivo:

“O objetivo do relatório financeiro para fins gerais é fornecer informações financeiras sobre a entidade que reporta que sejam úteis para investidores, credores por empréstimos e outros credores, existentes e potenciais, na tomada de decisões referente à oferta de recursos à entidade. Essas decisões envolvem decisões sobre: (a) comprar, vender ou manter instrumento de patrimônio e de dívida; (b) conceder ou liquidar empréstimos ou outras formas de crédito; ou (c) exercer direitos de votar ou de outro modo influenciar os atos da administração que afetam o uso dos recursos econômicos da entidade.”

Um balanço patrimonial construído debaixo das vigentes regras do IFRS devem atender os requisitos acima. A importância desta abordagem para o empresário em especial, é assegurar que a “fotografia” de sua empresa atinja os objetivos propostos pelas normas IFRS, gerando valor para o negócio e melhorando a imagem da empresa perante o mercado (acionistas, quotistas, familiares interessados no patrimônio da empresa, instituições financeiras, fornecedores e clientes, investidores, etc).

Além dos interessados citados, outros aspectos legais devem ser levados em consideração. Os administradores prestam contas de sua gestão através do balanço. A lei prescreve que o balanço compõe as peças que devem ser submetidas a aprovação anual dos quotistas e acionistas, muitas vezes de credores relevantes que também estão vinculados ao resultado da empresa.

Portanto, aprovar o balanço anual é de fundamental importância tanto para quem administra a empresa como para quem trabalha na empresa e para terceiros interessados, os stakeholders.

Tem sido motivo de polêmica a publicação do balanço por outras empresas que não as de capital aberto ou outras legalmente obrigadas. Se inexiste interesse na divulgação e inexiste obrigação legal, não há que se falar em publicação. Mas, se a empresa busca uma aproximação com o mercado, a transparência pode ser um excelente instrumento de divulgação da empresa e da sua performance. Isso pode abrir mercados e criar novas oportunidades para o negócio.

Vale lembrar que o Balanço Patrimonial é resultado das operações da empresa em determinada período. Neste caso, a formação dos números deve estar alicerçada em informações fidedignas, comprováveis, sem estimativas infundadas. Outro ponto a destacar e que reforça a importância do controle sobre os valores da contabilidade, é a obrigação de prestação de contas ao governo. Todos os dados que compõem o balanço também são enviados para a Receita Federal e por tabela para as receitas estaduais e municipais. O fisco sabe muito sobre nossas empresas, logo, o empresário deve reforçar sua preocupação com o trabalho do contador.

Sendo o balanço instrumento de divulgação da empresa, de interesse de terceiros, privados ou públicos, e instrumento de gestão, não pairam dúvidas de que a contabilidade deve ser valorizada. Não aproveitar o poder da informação representada por uma peça contábil bem estruturada e sólida pode custar caro às empresas. Muitas avaliações e constatações começam pelo Balanço Patrimonial. Para aqueles que entendem ser informação insuficiente, cabe alertar que o balanço sozinho não revelará tudo o que é necessário saber sobre a empresa. Por esse motivo, até nosso código civil e a Lei das Sociedades anônimas destacam que o conjunto básico das demonstrações contábeis são o Balanço Patrimonial, a Demonstração de Resultados( econômicos), o fluxo de caixa e a demonstração de lucros ou variação do patrimônio líquido. Estas, as principais.

Dicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat